6 dicas para teres sucesso com as tuas rubricas

E chegou finalmente o dia em que o MinorKisses dá início ao seu projeto MinorKisses Convida, hoje com um Guest Post. O artigo tem tudo a ver com este projeto (obrigada pelas dicas) e foi escrito por uma das duas pessoas que me inspiraram a criá-lo (mesmo sem o saberem). Uma caixinha de surpresas que tem em mão fantásticos projetos como o Blogging Mood e o ℮.ComTato. Falo-vos obviamente da Ana Filipa Oliveira, do blog A Mulher do 31. Deliciem-se!

 

Minorka, dona do pedaço, convidou-me para partilhar com os seus leitores algumas palavras. Como sei que o seu estilo é o do sarcasmo, não venho com doçuras. Esperem, do que vão ler, um certo agridoce, uma mistura entre o agri típico deste blog e doce, como o rosa do A Mulher do 31. E sobre o que irei escrever? Das pessoas lindas que aceitam os convites para guest post, mas…



CapaPostAMulherdo31

Todos os sábados A Mulher do 31 recebe na sua casa virtual um convidado, aliás normalmente uma convidada. O PUMPUM foi ainda o único elemento do sexo masculino a sentar-se na poltrona lá da sala. E para se receber convidados, tem-se (obviamente!!!) que convidar. E esta coisa é que dá umas certas inquietações. É que nem todos os ticos e tecos batem ao mesmo ritmo! Cada pessoa tem as suas manias e afins. ( Uhmmm, e ainda nem sequer convidei nenhuma vedeta da primeira liga.)

Se pretendes ter no teu blog uma rubrica semelhante a guest post posso partilhar contigo aquilo que já me apercebi, e ainda nem meio ano passou. Deixo-te as minhas 6 descobertas. (Se já tiveste experiência neste tipo de participações na blogosfera, e tens mais umas dicas valiosas, comenta. A gerência agradece. Mas se não tiveste, podes comentar à mesma, que não ficas mais pobre.)

 

1. Planeia e contacta futuros participantes, antes mesmo de fazer o lançamento da rubrica, para teres sempre em alinhamento conteúdo, e não saltares nenhum dia de publicação.

Eu não o fiz, e já saltei um dia. Sem falar das quantas vezes que a publicação ficou presa por uma linha. As razoes são variadas. Estas vão desde o computador que se estragou, passando pela ausência de feedback até à última hora, e até por receber textos, pelos quais poderíamos acusar os seus autores de falta de respeito pela inteligência d’ A Mulher do 31. Mas não, que o seu mundo é cor de rosa, e a mulher recebe na sua maison todos, tal e qual como se apresentam.

2. Não contes que todos os que dizem sim, vão realmente cumprir.

Sim, é verdade: a palavra já deixou de ser um sinal de honra. E o silêncio de morte mostra que algo vai mal. Por isso é que é bom ter alguns guest post de adiantado, pois podem sempre entrar quando te deparas com uma destas alminhas, que te deixam a penar até às últimas.

3. Não penses que todos vão aceitar.

Como A Mulher do 31 vê o mundo com lentes de amor, paz e união, pensa que todos os outros são assim. Falso. Nem todas as pessoas gostam do rosa. Quando a mulher partiu para esta aventura, não calculava que os bloggers não quisessem participar. Na verdade, até ao momento ninguém escreveu: Não. Mas as mensagens sem respostas – semanas a fio – querem dizer o mesmo, mas sem palavras, não acham?

4. Sê claro naquilo que pretendes.

Por vezes na nossa cabeça encaixa-se tudo, mas na cabeça dos outros as peças ficam soltas e o puzzle não espelha a imagem completa. Ao longo do processo, é preciso ir afinando a comunicação e explicar bem o que se pretende com a rubrica.
Se te dão feedback do género “estava à espera das perguntas”, ou “o que queres exactamente que escreva?”… não ignores. Há que clarificar melhor o teu conceito de guest post. Até porque cada um tem um estilo diferente e regras, e também me parece que não é ainda uma prática comum na blogosfera portuguesa, ou estou errada?

5. Dá um prazo que não seja muito longo nem muito curto, para que esse não se perca na agenda, nem que o convidado se sinta sob pressão.

Andamos todos a correr. Certo que uns mais do que outros. Eu sou mais passo de caracol. Mas todos temos os nossos compromissos, os nossos planos. Se pedes um post para ontem, é preciso muito boa vontade do convidado para encontrar espaço na sua agenda, e assim dar prioridade ao teu pedido. Se queres jogar pelo seguro, não te metas em sarilhos, e pede-lhes para te enviar o texto dali a uma semana ou duas, indicando uma data concreta. E mais uma vez, aqui é importante ter em stock material para colmatar possíveis falhas.

6. Não pensar que todos vão dedicar tempo, esforço e sei lá mais o quê ao texto – às vezes lançam umas quantas frases mal construídas, umas ideias para cima da mesa, e dizem “podes cortar, acrescentar, fazer o que quiseres…”

Basicamente estão a borrifar-se para o teu convite e para o teu blog, só querem ver o endereço do seu blog espalhado pela internet. Apesar disso, eu tenho publicado tudo o que recebo, mas estou em fase de ponderação que regras estabelecer nesse domínio. E porquê? Porque “quem quer ser respeitado tem de se dar ao respeito”, diz o ditado popular. Se permitirmos que tudo seja publicado como o autor envia, podemos cair no ridículo de ter textos muito maus e outros bons, ou seja uma discrepância na qualidade. E isso fica colado à imagem do teu blog. Por outro lado, acho que todos nós deveremos oferecer aos nossos leitores o melhor. Então porque é que tenho aceite? Porque sou marinheiro de primeira viagem na gestão de guest post e estou a aprender. Porque sou pela liberdade e forma de expressão de cada um… mas também já percebi que nem tanto ao mar nem tanto à terra.

thought-catalog-214785.blog post minorkisses
Photo by Thought Catalog on Unsplash

Depois desta minha lista de conselhos ficaste com vontade de participar, ou de fugir? Convido-te a ser a próxima ou o próximo convidado da rubrica. Fica a conhecer um pouco mais do que é pensado com esta rubrica na página Faz Parte! do blog A Mulher do 31. Se apenas queres ir lendo o que por lá se publica, segue o blog no endereço amulherdo31.blogspot.com e a página no Facebook. No Instagram, A Mulher do 31 é uma extensão do blog, não é exactamente a mesma coisa. Espreita e conecta-te.

Comments

    1. Post
      Author
    1. Post
      Author
    1. Post
      Author
    1. Post
      Author
    1. Post
      Author
      1. A Mulher do 31

        Minorka,
        acho uma excelente ideia.

        Diana,
        e que tal seres convidada das duas rsrsrsrsrs?

        Beijinhos às duas. E viva a uma blogosfera conectada e participativa!
        (Podemos beber um chá a três?!)

        1. Post
          Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *