Opinião própria sobre vida alheia? Dispenso.

Da Minha Vida Sei Eu

Tenho ouvido, mais vezes do que gostaria e do que consigo processar, opiniões sobre a minha vida. Ou porque me ando a dedicar demasiado a determinada coisa. Ou porque me envolvo demasiado em certas causas. Mas acima de tudo, porque faço exatamente o que os outros não querem que eu faça. Tenho uma novidade fresquinha para todos vós, os opinativos: Da Minha Vida Sei Eu!

E se cometer erros, se tropeçar ou se porventura cometer uma atrocidade como, sei lá, engolir uma espinha a comer peixe, por favor permitam-me esses tropeços. Tenho direto a eles e faço bom uso deles. É que nem se pode considerar algo inédito… sobretudo para quem passa a vida a dar com a própria cabeça em paredes duras. Mas foram esses (muitos) tropeços que me vacinaram contra muitas doenças alheias. E no que não estou vacinada, estarei, mas por mim, porque Da Minha Vida Sei Eu. Dêem-me o prazer de dizer que engoli uma espinha que EU mastigava, cujo peixe era mEU e porque o comi como acho que devo comer. E que prazer!


Da Minha Vida Sei Eu E É Esse O Limite

Faz-me lembrar como quando somos pequenos (e até mesmo depois de crescidos) quando os nossos pais, por (alegada) proteção, opinam sobre tudo. Amigos, profissão, atividades desportivas, recreativas ou estudos. De crescidos passa a ser com quem estás, para onde vais, com quem trabalhas, com quem convives no trabalho, namorados/as, esposos /as… e a lista não teria fim. Garanto eu, que tenho visto de tudo. Coisas que, com muita pena minha, muita mesmo, não se apagam da memória! Importante estar atentos e não confundir imposição de opiniões com preocupação.

Nestas coisas com os pais até que nem tenho muita razão de queixa. Mas gosto particularmente quando põe e dispõem da minha vida. É um gosto um tanto ácido, mas acho piada. Muita, imensa, infindável piada! E afinal, não tenho muita razão de queixa de excessos de opiniões dos pais, porquê? Porque estabeleci limites, ensinei. Tal como faço com toda a gente que faz parte da minha vida (voluntária ou involuntariamente).


Insegurança Ameaçadora À Sanidade Mental

Há aquelas pessoas opinativas que penso que quem tem filhos conhece muito bem. Estão sempre atentas e são especialistas no assunto porque receberam o prémio de Melhores Pais do Mundo!

-Põe o chapéu na menina que está ventito;

– Ela não terá roupa a mais?;

– Se ela chora é porque tem fome (precisamente depois de encher a pança com todo o leite materno disponível);

– Ai ela parece estrábica!;

– Caminha em bicos de pés, vai ao médico”;

– Ainda não se senta?;…

Mas atenção, não só os pais (avós, no caso) se sentem no direito de opinar! Nada disso, por quem sois! É um tal bombardeamento, que chegam a deixar as mães e pais à beira de um ataque de nervos. Com a sensação de nada saber e insegurança verdadeiramente ameaçadora da sua saúde mental.


Opiniões Dispensáveis

Pessoas que gostam de ter/têm e manifestam a vossa opinião em relação à minha vida? Da Minha Vida Sei Eu, tá? Quando perto de mim desliguem o opinómetro, falem nas minhas costas, critiquem à vossa vontade, mas não percam tempo com as vossas (dispensáveis) opiniões. Correm o risco de conseguirem o contrário… O meu cabelo está demasiado comprido? Vou pôr extensões. Demasiado curto? Eu rapo. É. Gosto de contrariar pessoas que sabem tanto da vida, que dá para elas e para os outros. Dá-me uma satisfação indiscritível.

Se me pretendem dar a vossa opinião em relação a algo, reflitam bem no que eu vou falando. Será que eu perguntei? Pedi opinião? Se nada disto tiver sido pronunciado por mim, desistam. Aprendam a gostar do que eu sou, ou melhor, respeitem-me simplesmente. Em alternativa afastem-se. Será melhor para as duas partes. E isto também garanto.


Prepotência E Falta De Conteúdo – Combinação Perigosa

Pessoas de opinómetro ligado são, definitivamente, prepotentes. (Um pouco parecidas com as referidas em Eu é que Sei, sintam-se convidadas a ler para perceber as diferenças.) Estão convictas de que podem, devem e têm o direito de julgar atitudes e decisões dos outros. Acham sempre que podem palpitar, dar umas dicas aqui e ali, porque se acham detentores do conhecimento. Desconhecem é que, o que pode ser bom para elas e para os seus próprios padrões, não têm, nem são seguramente, o melhor para os outros.

Mas estou convencida de que precisam de viver a vida através dos outros porque a sua não tem lá grande conteúdo… Mais! Estou também acreditada de que nem são os melhores exemplos de pessoas, as que gostam de opinar ou dar lições de moral. Isto por si só é uma contradição brilhante e que muito admiro.

Bom, bom, mas mesmo bom, era que as pessoas aprendessem a respeitar o seu lugar. Não percebendo exatamente o lugar que ocupam, cometem constantemente infrações nas vidas alheias. E isso é um problema sério para mim, que Da Minha Vida Sei Eu.


Invasão De Propriedade Alheia

Fui educada para ser independente. E sou de facto muito independente. Ter alguém a entrar, sem bater à porta, na minha vida, é invasão que não admito a muitos. São mesmo muito poucos a quem dou essa liberdade. Pessoas que não sabem ocupar o seu lugar, acabam por interferir no meu normal funcionamento cívico. E, portanto, tenho sérias dificuldades em partilhar o meu espaço, a minha vida privada, o meu dia-a-dia, as minhas coisas com quem “abusa” de estatutos impostos pela vida. Não dispenso da minha liberdade de opinião.

Deixo uma receita para pessoas opinativas, favor pôr a mão em forma de concha. Abrir a boca e baixinho dizer a vossa opinião para a mão. Enrolar bem enroladinha e pôr no bolso. No seu bolso. Quando for colocar a peça de roupa a lavar. Tentem, tem tido resultados incríveis!

Foto retirada de Photo by Najib Kalil on Unsplash.

Comments

  1. Post
    Author
  2. Andreia Morais

    Outra questão que me causa urticária! Se as pessoas se metessem na sua vida, em vez de andarem tão preocupadas com as dos outros, era bem melhor.
    Aceito, de bom grado, a opinião dos meus, daqueles que sei que querem o melhor para mim e que me expressam o seu parecer sem que o pretendam impor. Agora, daqueles que não me dizem nada, dispenso completamente.

    1. Post
      Author
  3. Sara Canhoto

    Como não adorar?? As pessoas AMAM opinar e de repente ficam expert’s no assunto para opinar de forma tão… convincente.

    Devido à Fibromialgia e mudança de alimentação muita gente opinou, muita gente virou médica e nutricionista ahaha

    Um grande beijinho*

    1. Post
      Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.