A minha história de vida… dar asas para voar

Quarta-feira, já todos sabemos que é dia de MinorKisses Convida. Hoje fala-se em Dar Asas Para Voar

Quem vos apresento é uma menina linda, com uma história de vida feia. E que, com muita ajuda e muita força, conseguiu contrariar o destino.Hoje é uma inspiração: a querida Diana do blog Chá das Cinco. Sim, eu sei que digo isso de quase todas as convidadas (não posso dizer convidados que ainda não chegou a vez de nenhum, mas vai chegar, prometo!). Quando eu disser que a convidada é uma inspiração e não o for, alertem-me. Duvido que me apanhem na mentira!

Ela conta-nos a sua história de vida ao mesmo tempo que agradece quem a ajudou a ser quem é.

Linda dedicatória…

Dar Asas Para Voar

Olá sou a Diana do Blog Chá das cinco, criei o meu blog Chá das Cinco já faz um ano, para poder deixar a minha marca e falar do que bem me apetecesse. Este blog é uma espécie de “melhor amiga”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

16 anos separam estas duas fotografias. 16 anos de muitas mudanças. A minha vida mudou mais propriamente no dia 11-03-2002, quando fui acolhida no melhor lar de infância e juventude na ADCL (Associação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais)… A minha vida tornou-se mais cor-de-rosa e mais minha. Deixei de me preocupar em defender-me das pessoas e do mundo, pois passei a ter pessoas que iam fazer isso por mim. Sobretudo iam chorar e rir comigo.

Mas antes tenho que partilhar convosco o que se passou até chegar a essa minha nova casa, como era a vida com a minha família.

Conflitos Familiares E Violência Doméstica

Até aos seis anos de idade, vivi com os meus irmãos (2 rapazes e 1 rapariga) e com os meus pais. Mas nesta altura da minha vida, as coisas não era propriamente fáceis, havia conflitos familiares e violência doméstica. Não tinha uma vida simples. Os poucos afetos da parte do meu pai e da minha avó paterna, não ajudavam nesta mediação de conflitos, ainda provocavam mais. Também a violência do meu pai para com a minha mãe era maior.

Por volta dos meus seis anos, os meus pais separam-se. A minha mãe ficou sozinha com os filhos e sem nada, só tínhamos a roupa do corpo. Com ajuda de alguns vizinhos fomos sobrevivendo. Se até aqui a minha vida não tinha sido fácil, a partir daqui complicou ainda mais. A minha mãe arranjou um trabalho noturno, foi uma opção de vida, ela lá sabia o que fazia com a sua vida. Também é certo que tinha de sustentar os filhos. Mas o que está aqui errado é o facto de me deixar sozinha durante a noite, com apenas 6 anos e a cuidar dos meus irmãos, sendo que o mais novo tinha meses de vida. Podia simplesmente pedir ajuda a alguém para poder tomar conta de nós. Mas não o fez.

Tínhamos Uma Ligação Enorme Com A Nossa Mãe

A minha avó paterna fez queixa ao tribunal e por decisão deste fomos retirados a minha mãe. Foi de uma violência tal que ainda me lembro até aos dias de hoje. No dia em que fomos retirados, a polícia e o meu avô (que até era a pessoa afável) foram-nos buscar à escola. A minha mãe apareceu nesse momento (por já saber da situação) e levou-nos para casa, pois não aceitava tal decisão. Entretanto como ninguém abria a porta à polícia, esta arrombou a janela e tirou-nos de lá como fossemos criminosos. Ainda me lembro dos vizinhos comentarem que não se fazia isso às pobres crianças, que acabariam por ficar traumatizadas. Foi um momento muito complicado porque, apesar de tudo, tínhamos uma ligação enorme com a nossa mãe. Eu ainda tentei fugir mas sem hipóteses algumas.

Andei Em 6 Escolas Primárias

Alguns meses mais tarde a minha mãe fugiu comigo, dizendo à minha avó que me ia levar à escola e nunca mais apareci em casa. Nesta fase em que fiquei com a minha mãe, ela continuava a trabalhar de noite e fiquei muito desprotegida. Para uma menina de 7/8 anos não foi nada fácil lidar com determinadas situações, principalmente quando não tinha ninguém para falar e me proteger. Nesta altura as coisas complicaram-se e não fui protegida.

A minha vida foi uma aventura, andei em 6 escolas primárias e o meu nível de aprendizagem era quase nulo. A minha mãe andava sempre a mudar de casa e com isso não tinha ligação a ninguém. Era impossível criar vínculos com quem quer que fosse, atá ao momento em que cheguei à minha casa nova.

A Minha Vida Tornou-se Mágica

Mas antes de falar no que aconteceu durante estes 16 anos em que a minha vida mudou e se tornou mais mágica, vou falar especialmente no dia que mudou e marcou a minha vida. Dar Asas Para Voar.

Estava eu na segurança social, numa segunda-feira pela manhã, à espera que alguém me viesse buscar. Surgiram a Ana Macedo e a Gabriela Nunes, lindas de morrer e com o maior sorriso do mundo. Para mim pareciam as pessoas mais felizes do universo e soube logo que ia ter um ombro para chorar ou para me dar colo, que não tinha antes. Uma coisa de que me lembro bem, eram as prendas que a Sofia me trazia das quais ainda guardo algumas, também as cartas da minha loira e da minha morena. A minha mãe chorava, mas eu só queria ir embora e perguntava quando isso iria acontecer, pois sabia que ia para um lugar seguro. Estava longe de saber que iria mudar tanto a minha vida e a minha maneira de encarar os problemas.

Sou Uma Guerreira, Uma Vencedora

Posso dizer que sou uma guerreira, uma vencedora que não desisto de nada, mas nada mesmo. E isso deve-se, sem dúvida alguma,  ao trabalho magnífico que cada pessoa faz naquela casa e na maneira como olham para nós. Tratam-nos como família e sobretudo como se fossemos os seus próprios filhos.

Gostava que todas as pessoas do mundo soubessem que o trabalho que cada pessoa faz naquela casa tem muito amor, mas que precisam melhores oportunidades para fazerem mais e mais. Amo cada uma de tal forma que não vivo sem elas, podemos ter as nossas desavenças, mas sei que me vão proteger para sempre. Dar Asas Para Voar.

O Que Não Esqueci

Há coisas que nunca se esquecem. São os melhores beijinhos e abraços que nos são dados, ou a música cantada, que era cantada para acalmar… Mesmo sendo desafinada dava resultado. As idas às casas das pessoas que lá trabalham, que me enchiam o coração. Das famílias dos funcionários que me acolhiam como se fosse da família e que até sei que sou da família. Dos banhos dados todas as quartas-feiras pela minha querida Elisabete… tenho tantas saudades dela e destes momentos. (A minha Elisabete já partiu e foi das minhas maiores perdas nesta vida e que me custa muito até hoje. Minha querida mãezinha.) O Jorge, que me ajudava a estudar para chegar mais longe e que conseguiu contribuir para esse feito.

Lembro-me de todas as pessoas que todos os dias me acompanharam e choravam comigo. Cada momento de felicidade ou de tristeza. Festejavam comigo todas as minhas vitórias e conquistas. Obrigada por tudo isto e muito mais. Não me esqueço dos choros depois de um sermão. Não me esqueço que me acompanharam na minha missa de finalistas. Não me esqueço de cada palavra dita na hora certa. Não me esqueço de cada chamada e mensagem para me confortar a alma. São tantos os momentos para dizer obrigada.

Obrigada por me permitirem crescer e voar.

A Minha Família

A minha vida teve muitos dissabores ao longo desses 16 anos, mas deu-me uma grande família que eu amo de coração que não imagino sequer perder. Aproximou-me de uma prima muito querida, com a qual tenho uma relação muito próxima. Foi a única que se manteve junto a mim ao longo destes 16 anos. Da minha família biológica é a única pessoa com quem tenho grande aproximação, que me assegura as minhas raízes que me mantêm viva.

Aquela casa deu-me um curso superior que só consegui porque tive cada uma daquelas pessoas a acreditarem em mim. Deu-me amigos que não tinha devido ao facto da minha mãe se mudar constantemente. Deu-me novas conquistas, deu-me oportunidades, deu-me o mundo e é tão bom poder conquistar o mundo e deixar a minha marca.

Comecei A Sonhar

Nestes 16 anos criei laços, vinculações, sentimentos que até então não era possível ter porque não havia tempo para sentir. Comecei a sonhar. Os sonhos antes para mim eram impossíveis de cumprir. Nem pensava nisso sequer, pois não havia possibilidades para tal e muito menos quem me ajudasse a trabalhar para que tal acontecesse. Mas depois deste dia os meus sonhos começaram a crescer e ganhar vida.

Preciso dizer que fui para Universidade tirar o curso de Educação Social, porque para mim era importante poder fazer o mesmo que aquelas pessoas fizeram por mim. Passar a minha história de vida, a minha experiência, para que outros meninos e meninas percebam, que por mais que haja diversidades na vida, podemos chegar bem longe. Somos capazes de ter uma vida digna e seremos muito felizes com as nossas escolhas. Não temos que ter vergonha do nosso passado e sim sentir orgulho no futuro que construirmos.

Gratidão

É importante salientar que consegui dar volta à minha vida e chegar ainda mais longe com ajuda dos funcionários do lar. Eu não sou em nada diferente de outros jovens deste país, que vivem ou viveram histórias semelhantes à minha. Todos podem superar histórias de vida menos boas, a única diferença que aqui poderá existir são os afetos. Ninguém vive sem afetos, os afetos são importantes para seremos pessoas com uma maior possibilidade para atingir o nosso impossível. Porque nada é impossível até acontecer. Isto para mim é o fator principal para nos ajudar a atingir a plenitude da nossa felicidade. Nunca desistir de nada e superar qualquer história de vida.

Obrigada por fazerem de cada dia um dia mais mágico. Obrigada por me ajudarem a cada dia voar mais alto. Apesar de todas as circunstâncias da vida posso dizer que sou uma pessoa feliz, bem com a vida e muito agradecida com tudo que consegui até hoje.

Gosto tanto de cada um de vocês, que o amor enche o meu peito de tal maneira, que fica difícil de descrever.

 

Minorkisses muito obrigada pelo convite é uma honra poder fazer parte do blog e do projeto. Obrigada mesmo de coração. Muito sucesso para o blog e que cresça imenso!

Visitem-me no meu blog Chá das Cinco!

Comments

  1. Blog Chá das cinco

    Obrigada de coração por me ter convidado. Obrigada por fazer parte do seu projeto. Obrigada por me ajudar a homenagear as pessoas que tanto eu gosto e a dar o reconhecimento do seu trabalho. Beijinhos ❤💋❤

    1. Post
      Author
  2. Andreia Morais

    É uma história dura e igualmente inspiradora! Honestamente, acho que nem tenho palavras para comentar, porque estive a lê-la de coração nas mãos. E se, por um lado, me pesa saber que há crianças a passar por uma realidade destas, por outro, a verdade é que também fico sensibilizada por perceber que há pessoas que se entregam por inteiro, proporcionando um lar a quem não o tem.

    Obrigada por esta partilha *.*

    Beijinhos, minha querida

  3. Post
    Author
    Minorka

    Nada na vida é perfeito mesmo. Mas o ser humano tem a mania da busca pela perfeição, como se isso fosse a felicidade plena. No entanto superar problemas é o que nos traz a tal perfeição.
    Parabéns também a ti Sara, que és uma inspiração!
    Beijinho!

  4. Sara Canhoto

    Que história magnífica! Fico muito feliz que tudo se tenha resolvido. Não foi fácil, mas só quem passa por situações difíceis é que se torna realmente forte.

    Muita força e muito obrigada por esta partilha. É super importante mostrar estes pedacinhos de realidade. Nada na vida é perfeito.

    Um beijinho*

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.