Prendas para ou do aniversariante? Hummm…

Neste Minorkisses Convida, o tema anda em volta de Overdose de Açúcar, mas também de uma estranha tradição que se tem vindo a impor. Os aniversariantes passaram a dar prendas! Como as lembranças de batizado ou casamento. Mas, ainda que não haja festas, nos aniversários dos pequenos, há lembranças. Não, eu ainda não aderi. E por acaso muito tenho a dizer sobre este tema, pode ser que um dia… Mas hoje é dia da nossa querida e estimada Sílvia, do muito interessante blog familiar O Dia da Liberdade, nos falar precisamente desse fenómeno. Obrigada Sílvia por teres aceite este convite e por fazeres parte do projeto! (E Sílvia, também adoro comer leite condensado à colher…)

Adocem-se!

Overdose De Açúcar

Como sei que a Minorka gosta de uma boa polémica, decidi usar o seu convite para isso mesmo.

Vamos debater aqui as prendas que os aniversariantes têm de oferecer aos colegas… Em primeiro lugar, vamos entrar na máquina do tempo e reportar-nos à nossa infância. Quem é que dava prendas aos colegas, no seu dia de anos… Eu não. Com sorte, levava um bolinho caseiro e (com muita sorte) um sumo.

Havia sempre os colegas simpáticos que ofereciam uma flor, um bloquinho daqueles que cheiravam a morangos e com duendes com flores a servir de chapéu mas estes eram apenas os melhores amigos. Prendas só se davam ao aniversariante em caso de festa.

Overdose De Açúcar E Trepar Às Paredes

Hoje em dia, todos os meninos do JI esperam receber um saco de prendas, preferencialmente montes de gomas, rebuçados e chocolates, para que os pais deles trepem às paredes ao vê-los trepar às paredes com uma Overdose De Açúcar

Há sempre pais radicais, como eu, que ousam aparecer na escola sem as ditas prendas e acabam por sentir que as crianças ficam tão tristes a olhar para o bolo de anos que se acobardam e, no dia seguinte, lá aparecem com as prendas.

No nosso caso, continuando na nossa radicalidade, as crianças levaram um bloquinho super giro e um lápis, daqueles que se dobram todos e, apesar de notoriamente preferirem a Overdose De Açúcar, lá consideraram que até era uma prenda fixe…

E Uma Overdose de Sanidade Mental?

Melhor prenda foi a da mamã de uma das amigas do meu filhote mais novo que fez um mini-vaso, com uma florzinha linda, que dizia Lembrança da L., tudo feito e decorado por elas. Foi, sem dúvida, a minha prenda preferida pela originalidade e, acima de tudo, pelo amor colocado nela. Sem fazer diferença entre os meninos e as meninas, todos levaram um pedaço de natureza para casa.

Mesmo assim, para bem da sanidade mental e física, o ideal era não haver prendas para os meninos da turma. Já me é difícil pensar e ir comprar as para os meus filhos quanto mais para os 24 coleguinhas… E, por favor, Overdoses De Açúcar, não é apenas uma vez de vez em quando. Já aconteceu terem três aniversários na mesma semana que acumulam com o bolo de aniversário, os doces e, por vezes, as festas no fim de semana…

Não sou a nazi do açúcar, sou a que gosta de comer leite condensado à colher, mas o que é demais… E eu gosto muito das minhas paredes, sem marcas de sapatilhas!

Comments

  1. Andreia Morais

    Em criança, nas minhas festas de aniversário, oferecia sempre um saquinho com algumas guloseimas. À medida que fui crescendo, esse hábito deixou de fazer parte.
    A oferecer, acho que tem sempre mais encanto quando é algo feito pelas próprias crianças. Mas acho que não devia existir essa obrigação. Afinal de contas, quem é que faz anos? :p
    Quando estive a estagiar em creche, no dia de aniversário de um dos meninos, fazíamos nós o bolo com o grupo e as famílias, se pudessem, iam lá cantar os parabéns na hora do lanche, mas não levavam prendas. No pré-escolar, os meninos que faziam anos levavam eles o bolo e também não havia prendas para os amigos (só uma das meninas é que ofereceu um jogo para a sala).

    1. Post
      Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *