Zona de Conforto || ACMA

“A Zona de Conforto é um lugar maravilhoso, pena que nada cresce lá”…

Este post é o meu contributo para o projeto ACMA – A Cultura Mora Aqui, cujo tema para o mês de novembro é o conforto.

No decorrer das nossas vidas procuramos o conforto como se fosse o tesouro no fundo do arco-íris. O conforto emocional, financeiro, a comodidade, a tranquilidade e a proteção que o conforto nos proporciona, leva-nos a crer que é o que buscamos para as nossas vidas. E de certa forma é. A zona de conforto difere de pessoa para pessoa, mas numa coisa é comum – é o bem-estar que ela nos proporciona e a sensação de segurança.


A Zona de Conforto

As rotinas podem, efetivamente, proporcionar uma certa tranquilidade, mas vira-se o feitiço contra o feiticeiro quando não nos permitimos sair dessa bolha. O acomodar-se a uma rotina que nos serve porque somos preguiçosos, malandros e medricas, não pode ser considerado saudável. Não, não é hoje que voltarei à lamechice!

A zona de conforto pode servir dois propósitos, ou para voltarmos lá sempre que mais necessitados de mimo, ou para vivermos continuamente nela e aceitar tudo como está. Não saber viver fora da bolha é comum em pessoas que sofrem de comodismo agudo. Sujeitam-se a viver em águas paradas. Nem flores de estufa são. Não crescem quer por dentro quer por fora! Tudo estagna.


Viver na Zona de Conforto: bom ou mau?

Afinal o que leva alguém a ficar na zona de conforto? O medo. O medo de mudanças, o medo de falhar fora do que lhe é conhecido e a perda do bem-estar a que estão acomodados. Mas é na zona de conforto (apesar de estarmos muito aconchegadinhos à manta do sofá) que os sonhos morrem. A segurança é uma ilusão. Sair da zona de conforto implica coragem e acima de tudo respeito por si próprio. Vontade de experimentar comidas diferentes, conhecer pessoas, seguir desejos e sonhos ou simplesmente melhorar a qualidade de vida. .


Como sair da Zona de Conforto?

Têm a sensação de vos faltar algo que não conseguem identificar, de sentirem alguma insatisfação, alguma coisa que querem mudar ou que gostariam de fazer? Se a resposta for afirmativa é hora de mudar comportamentos, de ter vontade e acima de tudo deixar de ser cagufas! Deixar de meter o rabinho entre as pernas e ir ao desconhecido!

Metam uma coisa nas vossas cabecinhas assustadiças, a necessidade de arriscar e sair da zona de conforto é imperativa ou acabarão por perder a essência da vida. Por isso, aos poucos levantem o rabo do sofá e vão tomar um café, mesmo que sozinhos. Não gostam de café? Bebam água, mas vão! A bolha serve para acompanhar os bebés e crianças até certa idade, não é para adultos! Deixo apenas um alerta, saindo da zona de conforto pode dar-se um fenómeno chamado satisfação pessoal com tendência a viciar.

 

Sobre o projeto A Cultura Mora Aqui A Cultura Mora Aqui

Criado pela Ju, do blog Cor Sem Fim, o projeto A Cultura Mora Aqui – ou ACMA, para abreviar – tenciona trazer a cultura de volta à internet com temas mensais. Para participarem, só têm de enviar um e-mail com os vossos dados para acma.cultura@gmail.com.

Aproveito para repetir que não vamos falar sobre outfits, maquilhagem, moda, etc, e que qualquer um de vós pode participar, não sendo obrigatório fazê-lo todos os meses. Para não perderem nenhum post, já podem seguir a página do ACMA no facebook e/ou ler a nossa revista digital.

Comments

  1. Pingback: Escrever A Vida A Lápis é seguro para quem lhes falta a coragem

    1. Post
      Author
      Minorka

      Força! Avança sem medos! É mais perigoso deixares-te estar presa, do que começar a sair dela!
      Vai contanto o que tens feito para sair da bolha, se quiseres por email ou mp. Quero saber de mudanças! Vou estar atenta e a aguardar novidades tuas!
      Beijinho

    1. Post
      Author
      Minorka

      Não tenhas medo, sempre que te sentires muito tempo na bolha, sai, engana a rotina!
      Já vou espreitar o teu blog!
      Obrigada pelo comentário!
      Beijinhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.